A incrível moldura humana na praia de Matosinhos este Sábado dia 14 de Abril A incrível moldura humana na praia de Matosinhos este Sábado dia 14 de Abril Click por Surf à volta do Porto

Itens relacionados

sábado, 14 abril 2018 16:07

Objetivo cumprido - mais de 600 surfistas estiveram este Sábado em Matosinhos.

Foram Mais de seiscentas as pessoas que estiveram presentes na Praia de Matosinhos este Sábado 14 de Abril. Uma demonstração exemplar de organização e solidariedade na Praia de Matosinhos. 

Um grande aparato organizado hoje pela comunidade de surf em Matosinhos, trouxe estações de televisão generalistas como a RTP, e outros meios de comunicação para dar cobertura a este evento.

Em Causa está a transformação da Cidade de Matosinhos numa Cidade exclusivamente Portuária e de águas Paradas.

A construção do prolongamento do quebra-mar exterior do Porto de Leixões, estrutura com cerca de 300 metros de comprimento, pode trazer consequências desastrosas. Essencialmente, teme-se que o impacto da obra afete a qualidade das praias e a “Onda de Matosinhos”, podendo mesmo fazer com que as águas fiquem estagnadas (mais poluídas e contaminadas), haja um expectável aumento de acumulação de sedimentos a norte da Praia Internacional (devido às correntes, as areias poderão ser deslocadas de sul para norte) e impeça mesmo o desenvolvimento e a prática de Surf

 

A Surftotal falou com o proprietário de uma das principais escolas existentes, Pedro Flores, da Flower Power Surf School que nos conta o que se passou este Sábado em Matosinhos!

 

Pedro conta-nos o ambiente que se viveu hoje na Praia de Matosinhos?

Estava muita gente na Praia, muita gente do surf, as escolas de Matosinhos todas envolvidas, até a equipa sénior do Leixões Futebol Clube esteve presente. A manifestação foi orientada para a preservação da Praia, a qualidade da água do Mar, do ambiente e dessa forma, nós os moradores de Matosinhos percebermos o que queremos para esta Cidade. Se queremos manter a sua génese ou se queremos que esta se torne numa cidade portuária, cinzenta, poluída, de águas sujas e paradas. Não estamos a falar apenas das ondas e do surf, mas sim pela identidade e qualidade de vida na cidade em si.

O que te tens apercebido durante todo este processo?

Muito sinceramente há aqui alguns cenários um pouco preocupantes. Primeiro em como tudo na vida “money talks” e segundo me apercebi a junta de Matosinhos e a Câmara Municipal estão contra a extensão de 300 metros do paredão, sendo esta uma decisão do governo central que com certeza envolve algumas centenas de milhões de euros e a ideia é transformarem esta praia num porto de grande dimensão, ao nível de Hamburgo e outros portos semelhantes ficando assim Matosinhos como uma das principais portas para a entrada de navios na Europa. Ou seja Matosinhos como nós a conhecemos desaparece, as ondas vão desaparecer,  provavelmente não agora caso a construção inicie, mas sim daqui a 3 ou 4 anos. 

O passado mês de Março chegaste a alertar a comunidade sobre um estudo existente do LNEC. Queres-nos contar um pouco sobre esse estudo?

Vão transformar a praia de Matosinhos numa Lagoa, se virmos o relatório do LNEC a ideia é barrar totalmente a entrada da ondulação e permitir que os navios façam as manobras com uma amplitude grande em toda aquela área. Matosinhos ficará assim uma praia "lodosa" sem condições para surf ou até para fazer praia. Estamos a falar de um crime ambiental.

 

ACEDE AQUI À LIVE CAM DE MATOSINHOS

 

 

 

 

 

 

Perfil em destaque

  • Maria Chaves Maria Chaves

    Conhece uma das jovens surfistas da região da Grande Lisboa… 

Scroll To Top