A típica imagem que correu Mundo e popularizou o Havai. A típica imagem que correu Mundo e popularizou o Havai. Foto: DR

Itens relacionados

terça, 13 fevereiro 2018 15:42

6 coisas que não sabes sobre o Havai

Confere a lista e fica a saber um pouco sobre as ilhas do Pacífico… 

 

Okay, o Havai é a Meca das ondas e o North Shore o principal estúdio do surf mundial. É por lá que se encontram algumas das melhores ondas, acontecem alguns dos mais espetaculares campeonatos e se juntam, todas as temporadas de inverno, os surfistas mais fantásticos do globo. 

 

No entanto, nem sempre tudo corre às mil maravilhas. Assim, para evitar problemas, Jill Kozak, que é uma repórter havaiana especializada em viagens, confidenciou-nos seis dicas essenciais para que tudo corra bem numa investida futura. Ora vê: 

 

1. Sabias que as ilhas pertenciam à realeza havaiana?

Antes de se ter tornado num dos estados dos Estados Unidos da América, o Havai era uma nação independente, conhecida como Reino do Havai, gerida por reis e rainhas. O mais notável foi o Rei Kamehameha, o Grande, que, numa altura de luta pelo poder, estabeleceu a paz e unificou a monarquia nas ilhas. O Havai foi soberano entre 1810 e 1893 até que, no reinado da rainha Lili’uokalani, foi deposto por colonos americanos e europeus. Depois de ser um território americano durante 60 anos, acabou por alcançar a soberania em 1959 quando se tornou no mais recente estado da união. 

 

2. O movimento da soberania nas ilhas está bem vivo e recomenda-se. 

Passar de uma nação independente e soberana para ser uma parte dos Estados Unidos provocou muitas lutas entre os nativos havaianos - nomeadamente relativamente a terras, educação e outros elementos sagrados da cultura. Quando a civilização ocidental encontrou as ilhas, 90% da população havaiana diminuiu devido a guerras e doenças. Depois da chegada dos missionários americanos, a monarquia já tinha caído, o Reino do Havai e os seus nativos tinham sofrido muito e não contavam com qualquer reconhecimento. Isto significa que o povo não teve direito a títulos, a fundos ou quaisquer outros benefícios como outros povos indígenas tiveram. Dezenas de organizações foram criadas para manter a língua havaiana, os rituais e outros costumes da cultura. 

 

- A zona turística de Waikiki, em Honolulu. Foto: DR

 

3. Não existe bom tempo no Havai o ano inteiro. 

Quando em viagem pelo Havai, é bom que tenham a noção de que o tempo nem sempre é perfeito. Isso de ter sol durante 365 dias é puro mito. Na verdade, por norma, o tempo é incrível no Havai, mas o “Aloha State” ficou conhecido pelos seus arco-íris. Isto significa que praticamente todos os dias chove em algumas partes das ilhas. Portanto, não fiquem surpreendidos se apanharem com alguma chuva. E não se queixem, optem antes por contemplar os vibrantes e quase únicos arco-íris. 

 

4. Sair de Waikiki pode revelar alguns constragimentos.

Os sem-abrigos de Honolulu ganharam fama numa peça publicada em tempos pelo New York Times - “Aloha and Welcome to Paradise. Unless You’re Homeless”. É difícil de acreditar, mas a cidade de Honolulu detém algumas das taxas mais altas de sem-abrigo dos EUA. O artigo foca, precisamente, que o facto das pessoas não voltarem ao Havai se prende com o número excessivo de sem-abrigos que encontram durante a sua estadia. Um ordem judicial recente fez os sem-abrigos migrarem das zonas turísticas para outras áreas da ilha de Oahu, onde foram construídos vários campos. Eles tentam apenas sobreviver numa das zonas dos Estados Unidos que apresenta o custo de vida mais alto, mas confiná-los a um espaço não está definitivamente a erradicar o problema. Embora tenham havido várias tentativas para os retirar das ruas e metê-los em casas, o problema continua a subsistir. 

 

- Makappu Beach. Foto: DR

 

5. Deixa a atitude em casa. 

As pessoas que vêm do continente ou de fora têm uma certa reputação no Havai, e olhem que não é boa. Muitas pessoas que se mudaram para as ilhas há mais de uma década ainda estão a adaptar-se ao estilo de vida local. O ritmo do Havai é mais baixo e relaxado, mas a cultura é também em tudo diferente ao que estamos habituados. A cultura local tende a ser mais reservada e respeitadora. Os “haoles”, os que vêm de fora, têm tendência a ter uma opinião sobre tudo. Abrir a boca demasiadas vezes ou tentar mudar as coisas dá direito a ganhar uma má reputação. Os nativos viveram aqui toda a sua vida, tal como as suas famílias desde há muitas gerações. Os visitantes, os turistas, por sua vez, vêm e vão. A família, a tradição e a cultura mandam nas ilhas. Por isso, aproveitem o tempo nas ilhas para ouvir e aprender. 

 

6. Para ganhar respeito, tens que o merecer. 

O Havai é conhecido no Mundo inteiro pelo seu espírito Aloha e franca hospitalidade. No entanto, o mais merecido Aloha é dado quando é recebido de volta sem qualquer interesse. Uma das regras de ouro é tratar todos com respeito, tal como cada um de nós gostaria de ser tratado. Caso cumpras esta máxima tudo correrá bem e esta será, seguramente, a experiência da tua vida.  

Perfil em destaque

Scroll To Top