Itens relacionados

terça, 23 janeiro 2018 10:51

ESPINHO SURF DESTINATION 2018

Quinta edição apresenta novidades e tem lugar entre 10 e 25 de março… 

 

O Espinho Surf Destination está de volta. E este ano vem cheio de novidades! A começar pela data de realização, que antecipou cerca de três meses, passando pela nova “Sponsors Village” e a “ESD Kids”, revista e aumentada, até à inclusão de uma etapa europeia do circuito mundial de longboard.

 

O Espinho Surf Destination comemora em 2018 a sua quinta edição e resolveu por isso fazer um upgrade, para tornar a experiência de quem o visita ainda mais atraente, como assegura Vicente Pinto, vice-presidente da Câmara Municipal de Espinho.

 

“Nós temos feito alguns estudos aquando dos eventos, estudos de impacto que avaliam o retorno de alguns milhões de euros nestes quatro anos o que, naturalmente, nos deixa satisfeitos em relação a esse retorno direto de um evento. Esses cálculos são muito específicos e têm a ver com a dormida, o valor que os atletas e os acompanhantes gastam na cidade. É um valor que nós conseguimos quantificar. E essa avaliação é importante. Mas para mim o maior retorno é o indireto, um retorno que não se consegue visualizar em termos de promoção de marca da cidade, até para pessoas que não praticam o surf. E em termos daquilo que é ao longo de todo o ano e não só aqueles 15 dias de prova, o que isso tem que se traduz em termos de visionamento do que se passou e do que se passa em Espinho, em termos da adesão de uns, de forma mais competitiva mas sobretudo em lazer, o que isso afeta em termos da nossa economia local, quer ao nível da hotelaria, quer ao nível da restauração, o que também representa no crescimento do número de negócios que têm surgido à volta desta área, que têm ainda um grande potencial para crescimento e também o que isso representa em termos de uma praia preenchida durante todo o ano,” afirma.

 

 

 LIVE CAM DE ESPINHO AQUI

 

“Iniciámos algumas estratégias de combate à sazonalidade em que o surf é uma delas e também uma das principais. Começámos por preencher o mês de junho, porque os meses de julho, agosto e a primeira quinzena de setembro são sempre as alturas mais fortes de estadias. E agora começámos a puxar mais para maio/março, porque junho está muito preenchido do ponto de vista hoteleiro. Já não temos a necessidade, em termos hoteleiros, de fazer esse combate à sazonalidade em junho. Este ano decidimos fazer uma aposta no mês de março. É um desafio. Vamos ver como corre. E para isso temos também uma estratégia de segurança e limpeza da praia que vamos lançar mais cedo e portanto criar todas as infraestruturas que são necessárias ter na cidade para receber as pessoas mais cedo,” continua.

 

“É um desafio nosso, trazer provas cada vez maiores e com maior impacto em termos europeus e mundiais. Julgamos que Espinho tem essas condições naturais. Entendemos até que este é um projeto do norte de Portugal, bem afirmado do ponto de vista desportivo. Temo-lo dito no passado. Este é o momento de haver claramente uma aposta no norte de Portugal. Nós estamos naturalmente muito dependentes do financiamento e do apoio nesta área, e este é sem dúvida o momento de crescermos. Depois do sucesso, da estabilidade que conseguimos, este projeto mostrou que é possível ter um evento sustentável no norte do país nesta área, que é possível no norte do país organizar provas com impacto, com maior divulgação mundial, e que de facto ponha Portugal no mapa ainda mais como um destino do surf. E é importante que entidades como o Turismo de Portugal, entidades como o Norte 2020 entendam a importância de dar sequência a um projeto como este, que consegue alicerçar as bases de uma modalidade e que traz tanto de positivo para a economia do país,” conclui o também vereador com o pelouro do turismo.

 

Para Gonçalo Pina, da organização, “este evento já está consolidado e afirmado junto das instituições que regem o surf mundial, nomeadamente a World Surf League, que tem colocado o Espinho Surf Destination como referência internacional no que toca a eventos de juniores. Já fomos considerados o melhor evento europeu e mundial nesta categoria. Por isso gostamos de melhorar todos os anos e assim decidimos trazer para cá os melhores longboarders mundiais, de forma a que também eles conheçam as belíssimas ondas de Espinho. O facto de anteciparmos para Março também tem a ver com a procura por condições de excelência, uma vez que é um mês em que habitualmente ainda contamos com ondulações fortes, mas em que o tempo já aqueceu, o que pode permitir ‘o melhor dos dois mundos’”. 

 

“Queremos igualmente contribuir para a implementação de uma ‘perna portuguesa’ nos circuitos mundiais destas modalidades, pois assim os atletas saem de Espinho e rumam à Costa de Caparica, onde se realizarão as etapas seguintes. Com isto, queremos também reforçar o destino Portugal no que toca ao surf, que já representa o principal destino e quase 40% da procura mundial na Europa, segundo dados do Turismo de Portugal. Assim, convidamos toda a gente a deslocar-se a Espinho, entre os dias 10 e 25 de março, para assistir, mais uma vez, ao melhor surf mundial,” reforça Pedro Ferreira, também da organização.

 

Mais novidades sobre o Espinho Surf Destination 2018 para breve. Até lá, marque já na sua agenda – 10 a 25 de março!

 


Perfil em destaque

Scroll To Top